Membro Honorário

Filha do desembargador Joaquim Penido Monteiro, prefeito de União da Vitória. Nascida em Porto União, o pai fez questão de registrá-la em União da Vitória, em 1928. Recebeu de sua avó materna Dona Júlia Amazonas, pianista de raros dotes, as primeiras lições de piano. Foi aluna de Magdalena Tagliaferro no Rio de Janeiro, por oito anos.

Estudou no conservatório de Madrid, com José Cubilis e em Viena com Richard Hauser, da Akademie fuer Musik und Darstellende Kunst. Entre os conjuntos de câmara com que se apresentou, estão o Quarteto de Cordas de Mozarteum, de Salsburg e o Quarteto Lindsay e Quinteto do Sopro de Munique. Foi solista dos maestros Souza Lima, Belardi, Peracci, Karabtchewski e Schnorrenberg. Como pianista e conferencista, Henriqueta apresentou-se no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos.

Ao voltar de seus estudos na Europa, casou com o engenheiro Eduardo Garcez Duarte – segundo ela, sua decisão mais acertada. Casados há mais de cinquenta anos, tiveram dois filhos. O casal ajudou a criar a Pró-Música de Curitiba, em 4 de abril de 1963, sendo Henriqueta sua vice-presidente na primeira gestão. Em dezembro de 1964 foram lançados os Cursos e os Festivais Internacionais de Música do Paraná, com o apoio do Governo do Estado e, depois, da Prefeitura de Curitiba – projeto que ainda hoje é realizado e tido como patrimônio das artes no Paraná. O trabalho do casal é considerado por Henriqueta seu legado à cultura paranaense.

Em 26 de novembro de 1997, o prefeito de União da Vitória, Pedro Ivo Ilkiv, concedeu-lhe o título de Cidadã Benemérita da cidade. O título de Membro Honorário da APL foi recebido em 17 de abril de 2017.

 

(Com dados da Prefeitura de União da Vitória e do blog fotoverbe-se.com – texto de Andressa Barichello)