Membro Honorário

Orlando Soares Carbonar nasceu em Guaragi (PR) em 6 de agosto de 1931, filho de Constantino Carbonar e Davina Soares Carbonar. Diplomado pela Universitá Italiana per gli Stranieri de Perugia (Itália) em 1952, quatro anos depois se bacharelou em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade do Paraná. Trabalhou no jornal Gazeta do Povo, de Curitiba. Ingressou, em 1960, no Curso de Preparação à Carreira de Diplomata (CPCD), sendo nomeado terceiro-secretário em abril de 1961.

No ano seguinte fez estágio na Academia de Direito Internacional de Haia (Países Baixos). Nos Estados Unidos serviu na embaixada em Washington inicialmente como terceiro-secretário e, a partir de janeiro de 1965, promovido por merecimento, como segundo-secretário. De volta ao então Distrito Federal, foi assessor de imprensa dos ministros das Relações Exteriores Juraci Magalhães (1966-1967) e José de Magalhães Pinto (1967-1968), membro da delegação brasileira à XXI Sessão da Assembleia das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque (1966), e professor de Política Internacional no CPCD do Instituto Rio Branco (IRBr) (1967-1968). Promovido a primeiro-secretário, por merecimento, em dezembro de 1968. Serviu como primeiro-secretário na embaixada em Berna (1969-1970) e em Caracas.

Ao retornar para o Brasil trabalhou como chefe do gabinete do secretário-geral das Relações Exteriores, embaixador Ramiro Saraiva Guerreiro (1974-1979). Foi promovido a ministro de segunda classe, por merecimento, em outubro de 1975, e dois anos mais tarde, coordenador de assuntos diplomáticos da Secretaria Geral (1977-1978), passando em seguida a chefiar o Departamento Consular e Jurídico (1978-1979). Chefe de gabinete do ministro das Relações Exteriores, embaixador Ramiro Saraiva Guerreiro (1979-1984), foi promovido a ministro de primeira classe, por merecimento, em dezembro de 1979. Foi chefe da delegação brasileira à Conferência Negociadora do IV Acordo Internacional de Cacau em Genebra (1884-1986) e presidente da XIV Sessão da Assembleia da Organização Marítima Internacional em Londres (1985-1987). Em 1986 foi nomeado embaixador no Paraguai e, a partir de 91, embaixador na Itália, até 1994.

Ao aposentar-se, voltou a residir em Curitiba. Casou-se com Alcina Carbonar, com quem teve três filhos, um deles diplomata. Sua vasta cultura e a divulgação que fez do Paraná em todo o mundo, durante a carreira diplomática, fizeram-no Membro Honorário da Academia Paranaense de Letras, diploma que recebeu em sessão solene no dia 17 de abril de 2017.

Carbonar faleceu em 24 de agosto de 2019.

(Com dados do Ministério de Relações Exteriores)