Roberto Muggiati nasceu em Curitiba em 1935. É jornalista desde 1954, quando começou na Gazeta do Povo, jornal em que exerceu a crítica literária e musical. Foi, em segui­da, correspondente da Associated Press, no Paraná. Cur­sou Jornalismo no Centre de Formation des Journalistes, em Paris, como bolsista do governo francês e trabalhou na BBC de Londres, nos anos 1960.

A partir da década seguinte, atuou como repórter especial, redator, editor e diretor da revista Manchete; editor assistente de Veja; diretor da revista Fatos & Fotos e chefe de redação da revista Ela, além de colaborador de O Estado de São Paulo, Jornal do Brasil, Diário Carioca, revista Senhor, revista Realidade, do suplemento do jornal Valor Eco­nômico e das revistas Bizz e Nossa História. Responsável também por inúmeras outras publicações, como a série de 52 fascículos História do Brasil. Foi cronista e roteirista de televisão.

Publicou os livros: Mao e a China (Record, 1968); Rock/O Grito e o Mito (Vozes, 1973); Rock/El Grito y el Mito (Siglo Veintiuno Editores, 1975); O Que É Jazz (Brasiliense, 1983; atualmente, no Círculo do Livro); Rock/Do Sonho ao Pesadelo (L&PM, 1984); Rock/ De Elvis à Beatlemania (1954-1966) (Brasiliense, 1985); Rock/Da Utopia à Incerteza (1967-1984) (Brasiliense, 1985); Jazz/Uma História em Quatro Tempos (L&PM, 1985); Blues/Da Lama à Fama (Editora 34, 1995); A Revolução dos Beatles (Ediouro, 1997); New Jazz: De Volta para o Futuro (Editora 34, 1999); A Contorcionista Mongol (Editora Record, 2000); Improvisando Soluções: O Jazz como Exemplo para Alcançar o Sucesso (Editora Best Seller, 2008).

Traduziu A Selva do Dinheiro (Record, 2002); A Selva do Amor (Record, 2003) e Caminhando, de Henry David Thoreau (José Olympio, 2006), dos quais também foi editor, e obras de Ian Fleming, Henry Miller, Kurt Vonnegut Jr, Irving Wallace, John Le Carré (O Jardineiro Fiel), Michael Chabon, E.L. Doctorow, Tariq Ali, romances de John Fante e Henry Miller para a José Olympio (2003), as biografias dos músicos Chet Baker (Companhia das Letras, 2002), Billie Holiday (Zahar, 2003), Charles Mingus (Zahar, 2005), a versão reconstituída e autorizada de O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald (Record, 2003) e The Dark Side of the Moon/O Nascimento da Obra-Prima do Pink Floyd, de John Harris (Zahar, 2006).

Seus textos também constam de diversos livros em coautoria. Entre suas memórias curitibanas destacam-se Nós em Busca da Província Perdida – Revista Nicolau, 1992, e Jazz: Boemia Musical na Madrugada – Revista Panorama, 1960. É colunista de jazz de O Estado de São Paulo e colaborador do Caderno G da Gazeta do Povo.

Tomou posse em 9 de maio de 2011, no Paço da Liberdade, saudado pelo acadêmico Adherbal Fortes. (EB)

Patrono: Nestor Pereira de Castro (1867-1906)
Fundador: Samuel César de Oliveira (1896-1932)
1.º Ocupante: Alfredo Romário Martins (1874-1948)
2.º Ocupante: José Loureiro Ascenção Fernandes (1903-1977)
3.º Ocupante: Edwino Donato Tempski (1913-1995)
4.º Ocupante: Edilberto Trevisan (1923-2010)